Av. Des. Dermeval Lyrio, 501 - Mata da Praia - Vitória/ES 27 3325 7566 | 99706-2131 (WhatsApp) igreja@ibmatadapraia.org.br     

Texto das
Mensagens

A VERDADE SOBRE AS DROGAS

Provérbios 23.29-35    Pr.Marcelo Aguiar    16/10/2016

“Para quem são os ais? Para quem os pesares? Para quem as pelejas? Para quem as queixas? Para quem as feridas sem causa? E para quem os olhos vermelhos? Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando bebida misturada. Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. No seu fim morderá como a cobra, e como o basilisco picará. Os teus olhos verão coisas estranhas, e tu falarás perversidades. E serás como o que se deita no meio do mar, e como o que dorme no topo do mastro. E dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando virei a despertar? Ainda tornarei a buscá-lo outra vez” (Provérbios 23.29-35).

 

                INTRODUÇÃO: DROGAS – UM GRANDE DESAFIO!

As drogas já existiam (e eram condenadas) nos tempos bíblicos. Mas na sociedade moderna, assumiram proporções assustadoras. Isso faz com que a questão das drogas apresente, para todos nós, um grande desafio. Vejam:

1) De acordo com a ONU, 243 milhões de pessoas no mundo usam drogas ilícitas.

2) No Brasil, 200 mil pessoas morrem todos os anos por causa de doenças associadas ao fumo.

3) No Brasil, 78% dos jovens ingerem bebidas alcoólicas.

4) No Brasil, 1,5 milhão de adolescentes e adultos usam maconha diariamente.

As drogas alteram o sistema nervoso central, influenciam o comportamento e movimentam milhões de dólares. A fim de promovê-las, muitas mentiras são contadas. Mas vamos agora encarar a verdade sobre três drogas utilizadas por muitas pessoas:

 

                1) MACONHA

Fonte: www.drauziovarella.com.br

 

1) Dependência: 09% dos que experimentam tornam-se dependentes. Entre os que iniciam o uso na adolescência, a média sobe para 16%. Entre os que fazem uso diário, 25% a 50% exibem sintomas de dependência. Os sintomas da crise de abstinência são: irritabilidade, insônia, instabilidade de humor e ansiedade.

2) Alterações cerebrais: Adultos que se tornaram usuários na adolescência apresentam menos conexões entre os neurônios em áreas do cérebro que controlam funções como aprendizado, memória e atenção. Isso explica as dificuldades de aprendizagem e o QI mais baixo entre adultos usuários desde a adolescência.

3) Porta de entrada: Qualquer droga psicoativa pode moldar o cérebro para respostas exacerbadas a outras drogas. Nesse sentido, o THC (princípio ativo da maconha) é tão nocivo quanto o álcool e a nicotina.

4) Transtornos mentais: O uso regular aumenta o risco de crises de ansiedade, depressão e psicoses em pessoas com vulnerabilidade genética. O uso frequente em doses elevadas modifica o curso da esquizofrenia, reduzindo entre dois e seis anos o tempo para a ocorrência do primeiro surto.

5) Origem de doenças: O uso regular provoca inflamação das vias aéreas e pode originar enfisema pulmonar. Também agride a parede interna das artérias, predispondo a infarto do miocárdio e derrame cerebral. Além disso, a relação entre o uso de maconha e o câncer de pulmão não pode ser afastada.

Outro efeito perverso da maconha é que, sendo uma droga ilícita, alimenta a criminalidade, o tráfico de drogas, a corrupção e a violência. Quem fuma maconha, além de estar prejudicando o seu corpo, está contribuindo para 77% dos assassinatos ocorridos no Brasil todos os anos.

 

                2) ÁLCOOL

Fonte: www.cisa.org.br

 

1) Consumo progressivo: Em pequenas quantidades, o álcool promove uma sensação de desinibição. Mas com o aumento desta concentração aparecem a diminuição da resposta aos estímulos, fala pastosa e perda de equilíbrio. Em concentrações muito altas o indivíduo pode entrar em coma ou até mesmo morrer.

2) Origem de doenças: Indivíduos que fazem uso crônico de grandes quantidades de álcool podem desenvolver complicações em diversos órgãos, tais como: esofagites, gastrites, úlceras, esteatose, hepatite, cirrose hepática, pancreatite, deficiências vitamínicas, demência e câncer.

3) Dependência: A dependência ocorre quando o consumo é compulsivo: o comportamento do usuário está fundamentalmente voltado para o impulso de ingerir o álcool, com a finalidade de obter um estado de prazer ou evitar os sintomas da abstinência, causando problemas sociais, físicos ou psicológicos.

O álcool causa todos os anos 2,5 milhões de mortes no planeta. O alcoolismo é a doença que mais mata, atrás apenas do câncer e das doenças cardíacas. O consumo de álcool é responsável pela maior parte dos casos de ausência no trabalho, acidentes no trânsito e violência doméstica.

 

                3) FUMO

Fonte: www2.inca.gov.br

 

1) Dependência: A nicotina causa dependência física, psicológica e comportamental, semelhante ao que ocorre no uso de outras drogas como álcool, cocaína e heroína. A dependência obriga os fumantes a consumirem doses crescentes, e a inalarem mais de 4.720 substâncias tóxicas, além de 43 substâncias cancerígenas.

2) Origem de doenças: O consumo de derivados de tabaco (cigarro, charuto, narguilé, etc) causa cerca de 50 doenças diferentes, como várias formas de câncer, doenças respiratórias obstrutivas crônicas (enfisema e bronquite) e doenças cardiovasculares (infarto e angina). No Brasil, o tabagismo é responsável por 200 mil mortes anuais.

3) Impacto na juventude: A maioria dos fumantes se torna dependente antes dos 19 anos. Por isso a OMS considera o tabagismo uma doença pediátrica. Conhecedores dessas estatísticas, os fabricantes desenvolvem estratégias diversas para aliciar adolescentes e jovens, a fim de repor o seu mercado consumidor.

4) Porta de entrada: O cigarro e o álcool são drogas lícitas que fazem tão mal quanto as drogas ilícitas. O hábito de fumar pode favorecer a aquisição de outros comportamentos pouco saudáveis. A dependência à nicotina é considerada, por muitos, a “porta de entrada” para o uso de drogas ilícitas.

Além de prejudicar o fumante, o cigarro traz malefícios para os bebês em formação e para todos os que inalam a fumaça (fumantes passivos). A cada ano o Brasil gasta 21 bilhões de reais para tratar doenças relacionadas ao fumo.

 

CONCLUSÃO: NÃO SE DEIXE DESTRUIR PELAS DROGAS!

O que a Bíblia diz sobre drogas? A Bíblia fala sobre as drogas (“pharmakeia”, “feiticeiros”, Ap 21.8; “vinho misturado com mirra”, Mc 15.23), e principalmente sobre o álcool. As palavras usadas são:  “yayim” (vinho), “shekhar” (bebida forte), “tirosh” (suco não-fermentado) e “oinos” (vinho ou suco).

Não se deixe enganar! Necessitamos estar informados e nos posicionar firmemente contra as drogas. Não devemos nos expor ao consumo de drogas. Temos que conscientizar e ajudar outros que estejam envolvidos – ou por se envolver – com as drogas. Precisamos renunciar às drogas e, se preciso, buscar ajuda para deixá-las, se já nos envolvemos com elas.

“Porque sagrado é o santuário de Deus, que sois vós” (1 Co 3.17). Vamos viver em santidade e vencer esse desafio!

 

Pastor Marcelo Aguiar

TEOLOGIA DO DEIXAR

COMO LIDAR COM NOSSOS FILHOS ADOLESCENTES

Sem comentários

Deixe seu comentário

IBMP

IBMP