Av. Des. Dermeval Lyrio, 501 - Mata da Praia - Vitória/ES 27 3325 7566 | 99706-2131 (WhatsApp) igreja@ibmatadapraia.org.br     

Texto das
Mensagens

OS DOIS BANQUETES

João 2. 9,10    Pr. Marcelo Aguiar    24/07/2016

INTRODUÇÃO

Foi durante uma festa de casamento, na cidade de Caná, que Jesus realizou o seu primeiro milagre… e deu, também, a sua primeira lição.

O mestre de cerimônias, ao provar a água transformada em vinho, procurou o noivo e disse: “Todos servem primeiro o vinho melhor e depois o ruim, mas você deixou o melhor vinho para o fim”. Sem querer, aquele homem apontou para uma realidade espiritual: existem dois banquetes, um no qual o melhor é deixado para o final, e outro no qual o início doce esconde um fim amargo. Assim são o banquete de Deus e o banquete de Satanás.

Recebemos convite para os dois banquetes. Que convite iremos aceitar?

Que diferença existe entre o banquete de Deus e o banquete de Satanás?

 

1) TRÊS EXEMPLOS DO BANQUETE DE SATANÁS

Poderemos entender melhor como são as coisas no banquete de Satanás se analisarmos alguns de seus exemplos. Vejamos algumas citações bíblicas:

  1. a) O banquete do pecado (Provérbios 9.13-18). Aqui se vê claramente o anzol que geralmente é escondido do peixe, a armadilha que costuma ser habilmente ocultada pelo caçador. O início é tão atraente e sedutor! Mas nunca nos contam a história toda…
  2. b) O banquete da indiferença (Lucas 16.19-23). Nessa história que Jesus contou, um homem rico vive se banqueteando, mas no fim vai parar no inferno. Seu erro não foi ser rico, mas ser descuidado. Não deu importância ao mendigo que catava as sobras que caíam da sua mesa, e também não se importou com o destino eterno da sua alma. Aquele homem estava indiferente às questões espirituais. Há muitos que se perdem pelo mesmo motivo.
  3. c) O banquete do materialismo (Lucas 12.16-21). Em outra parábola contada por Jesus, encontramos um homem que só se importava consigo mesmo, com os seus bens e os seus prazeres. Imediatista, ele se esqueceu de que havia um amanhã, e de que haveria de prestar contas a Deus. O banquete que ele havia planejado para a sua alma não se concretizou.

Poderíamos listar outros exemplos, mas a essa altura já detectamos um padrão:

NO BANQUETE DE SATANÁS, O COMEÇO É SEMPRE DOCE, O FINAL É SEMPRE AMARGO, E A CONTA É SEMPRE SALGADA!

 

2) COMO É O BANQUETE DE DEUS?

Vamos, agora, procurar descobrir como é o banquete de Deus. Veremos que na mesa do Senhor tudo é servido de modo bem diferente! A Bíblia nos diz que:

  1. a) Ele nos diz toda a verdade (Romanos 3.23). O Senhor começa nos dizendo que somos pecadores e estamos destituídos da sua glória. A entrada desse banquete é amarga! Nesse ponto Deus age como um bom médico, dizendo palavras que o paciente talvez não queira ouvir, mas que estabelecem um diagnóstico correto e que levarão à sua cura.

Há muitos anos um presidente dos Estados Unidos foi visitar uma igreja em Washington. Trataram de avisar ao Pastor e de lhe pedir que fosse comedido em suas palavras. De púlpito, o pregador falou: “Soube que está conosco o Presidente da República. Gostaria de dizer-lhe que ele é um pecador e que se não se converter será lançado no inferno como todos os perdidos”. A partir daquele dia, o presidente passou a frequentar regularmente aquela igreja. “Gosto desse Pastor”, ele disse, “porque outros tentam me adular, mas ele me diz a verdade”. Este é um bom exemplo da maneira como Deus age.

  1. b) Ele nos oferece a sua graça (Efésios 2.8,9). É o prato principal! Não somos salvos dos nossos pecados por boas obras ou religiosidade. Cristo pagou o preço da nossa redenção na cruz. Agora, ele a oferece gratuitamente a todo o que crê.

Thomas Brooks escreveu: “A graça transforma fichas em moedas, pedras em pérolas, doença em saúde, fraqueza em força, e miséria em abundância”. O banquete de Deus sacia a nossa alma porque nele é servida a graça. O Senhor disse a Paulo: “A minha graça te basta”.

  1. c) Ele guarda o melhor para o fim (Apocalipse 19.6-9). Agora chegamos à sobremesa! Na visão do Apocalipse, Cristo mostrou a João a ceia das bodas do Cordeiro. Que linda cena! Como será maravilhoso participarmos daquele banquete na companhia dos heróis da Bíblia, dos crentes que já partiram, e do próprio Jesus!

Veja essa história: certo pai iria viajar a negócios, e a fim de consolar o filho pequeno prometeu-lhe que, quando voltasse, traria muitos presentes. O garoto aguardou ansioso, enquanto as semanas se passavam. Um dia a porta se abriu, e lá estava o pai, com uma sacola de presentes em cada mão. O filho correu em sua direção, ignorou os presentes, e abraçou o pai. Porque os presentes eram bons, mas a presença do pai era ainda melhor!

Isso nos leva à seguinte conclusão:

NO BANQUETE DE DEUS, MELHOR DO QUE O QUE ESTÁ NA MESA É QUEM ESTÁ À MESA: O PRÓPRIO SALVADOR!

 

CONCLUSÃO

Amigo, existem dois banquetes, e você foi convidado para ambos. Entretanto, eles não são iguais. São bem diferentes! No banquete de Satanás as coisas parecem começar bem, mas o desfecho é amargo. No banquete de Deus, o melhor é guardado para o final.

Cristo nos chama e nos espera. O banquete está pronto. Tudo é de graça. Ele já pagou o preço. Se atendermos ao seu convite, ele enxugará de nossos olhos toda a lágrima. Ele alegrará o nosso coração. Ele nos acompanhará todos os dias. E, no fim, fará com que tudo se torne ainda melhor!

 

Pastor Marcelo Aguiar

DEUS FUROU AS MINHAS ORELHAS

JESUS NO VALE DA SOMBRA DA MORTE

Sem comentários

Deixe seu comentário

IBMP

IBMP